macau

macau

O Centro Histórico de Macau

1h ago
SOURCE  

Tags

Description

Da presença portuguesa em Macau, subsistem em essência duas tipologias construtivas: a militar e a religiosa. A Fortaleza de S. Paulo do Monte está localizada no centro da península de Macau, na colina de S. Paulo do Monte, que tem uma altitude de cinquenta e dois metros. A sua posição estratégica no terreno justificou o estabelecimento dos primeiros portugueses no local. Esta fortaleza pode ser considerada como o eixo da linha de defesa, pois a cinta de muralhas que a ligavam ao Baluarte de S. João e ao Fortim de S. Januário faziam dela a principal praça de defesa contra a ameaça vinda do Norte. Do mesmo modo, proporcionava um extenso arco de fogo ao cobrir os litorais Este, Oeste e Sul. A Fortaleza de S. Tiago da Barra está situada na ponta sul da península de Macau, à margem da colina da Barra do porto interior, constituindo assim um importante elemento para a defesa deste último. A Fortaleza de Nossa Senhora do Bom Parto, em simultâneo com a Fortaleza de S. Tiago da Barra, protegia o acesso ao porto interior, mas estando localizada na colina da Penha, era utilizada também para fornecer fogo de cobertura ao porto exterior, conjuntamente com a Fortaleza de S. Francisco e o Fortim de S. Pedro. A Fortaleza de S. Francisco, localizada na base da colina onde hoje se situa o Hospital de S. Januário, era a primeira linha de defesa contra qualquer frota vinda do mar. A Fortaleza de Nossa Senhora da Guia, situada na colina com o mesmo nome, e colocada fora das muralhas defensivas da cidade, foi edificada como defesa contra a ameaça do continente chinês. A Fortaleza da Taipa, localizada na Ilha da Taipa, foi edificada a pedido da população ao Governador de Macau. O Forte da Nossa Senhora da Penha de França, situado no cimo da colina com o mesmo nome, defendia ao largo contra as invasões navais, mas a sua localização estratégica permitia que as suas armas fossem apontadas de modo a formar um arco completo sobre toda a cidade. À parte desta estrutura defensiva magna, existiam ainda edifícios militares de menores dimensões como o Forte do Patane, o Forte da Lapa, o Forte de Mong-Ha, o Forte de D. Maria II, o Forte da Ilha Verde e o Fortim de S. Pedro. Dos edifícios religiosos do centro histórico de Macau, destacam-se a Igreja da Madre de Deus, vulgo S. Paulo, a Igreja de S. Domingos, a Igreja da Sé, a Igreja de Santo Agostinho, a Igreja de S. Lourenço, a Igreja do Seminário de S. José, a Igreja de S. Lázaro, a Igreja de Santo António, a Igreja de S. Francisco Xavier e as diversas ermidas inseridas no perímetro das fortalezas. A Igreja da Madre de Deus foi fundada em 1563 por dois padres jesuítas: Francisco Perez e Manuel Teixeira. Em 1565, anexo à Igreja da Madre de Deus, criaram o Colégio de S. Paulo, primeira instituição universitária da Ásia. Após um grande incêndio apenas a fachada subsistiu. É tradição atribuir o desenho da fachada desta igreja ao jesuíta genovês Carlo Spínola. A Igreja de S. Domingos, fundada por frades dominicanos de Acapulco em meados do século XVI, é hoje o único vestígio da passagem destes frades pela província de Macau. Embora não seja conhecida a exacta data da sua construção, já por meados do século XVI, havia referência à Igreja da Sé. Na construção actual, subsistem as características neo-clássicas, desenvolvendo-se a fachada principal em dois pisos. A primitiva Igreja de Santo Agostinho foi fundada por frades espanhóis agostinhos, em 1586. Três anos depois, passou a ser pertença dos frades portugueses que, em 1591, ergueram um templo de feição classicizante. A Igreja de S. Lourenço, cuja fundação jesuítica remonta ao estabelecimento português em Macau, foi várias vezes reconstruída. A Igreja do Seminário de S. José constitui o segundo edifício de iniciativa jesuíta destinado à educação. Após a extinção da Companhia de Jesus, o Seminário foi entregue por D. Maria I aos padres lazaristas que, de 1784 a 1856, conferiram ao Colégio o seu anterior prestígio. A Igreja de S. Lázaro foi a ...